domingo, 16 de dezembro de 2012

Vazio

Todos os "quase" me atormentam de uma vez só, como gotas infinitas caindo sobre uma superfície de madeira em noites de insônia.
Imagino todos os acontecimentos passando diante de meus olhos, tão rápidos como árvores ao longo de uma estrada, a lugar nenhum.

Não é um arrependimento, é um descontentamento acomodado. A saudade que não matei, o livro que não li, as viagens que não fiz e as coisas que não disse. Que se tivesse uma nova oportunidade, também não os faria.

Pouco importa. Qualquer tédio que me consuma, qualquer alegria que me entristeça. Porque estou em um estado de constante nada, toda e qualquer coisa nenhuma habita meu ser.

Umas poucas palavras que nada dizem, sons que não escuto e pessoas que não vejo. Um incômodo cômodo.

Um vazio por si só, que me preenche por completo.

7 comentários:

Pedro disse...

Nada que você vai sentir falta em poucas semanas...

Madamefala disse...

" toda e qualquer coisa nenhuma habita meu ser."

nossos textos estão parecidos...incrível.

essa frase então caiu como uma luva.

super beijocas!!

Navarro disse...

Mais uma vez entendo perfeitamente o que quer dizer. Também tenho um vazio que me completa. Acho que me viciei nele sem querer. Na verdade, fui forçada, mas enfim, gostei mais uma de sua escrita. O que mais gosto de seu blog é o fato de você traduzir muito bem o que muitos podem estar sentindo. Isso mostra que você sabe o que fala. Parabéns de novo!

Ps: Como eu disse, sim, me identifico com muito do que você diz mas sei que os "ataques" (rsrs) não são pessoais (a mim pelo menos). Quando eu me defendo é mais por costume do que por qualquer outra coisa. ;)
Adoro seu blog!!!

Tato Barba disse...

Piiiiiiiii

Os aparelhos indicam um coma profundo; letargia. (rs)

Até!

J. Heinkel disse...

sim, consigo entender exatamente o que vc quis dizer...é aquela doença que nos faz vivos, a fome que nos alimenta, paradoxos lógicos e compreensíveis para quem está preparado para perceber a vida em sua perspectiva irônica.

J. Heinkel disse...

obrigada =)

adoroseu jeito descolado-intelectual de falar ;)

não sou novinha não!
tenho 3 meses onde estou gozando a maioridade
haha;]

sempre acompanharei este blog

bjão

Effy Pellicèr disse...

Faço das suas, as minhas palavras.

destaque para: Um incômodo cômodo.