domingo, 16 de dezembro de 2012

Vazio

Todos os "quase" me atormentam de uma vez só, como gotas infinitas caindo sobre uma superfície de madeira em noites de insônia.
Imagino todos os acontecimentos passando diante de meus olhos, tão rápidos como árvores ao longo de uma estrada, a lugar nenhum.

Não é um arrependimento, é um descontentamento acomodado. A saudade que não matei, o livro que não li, as viagens que não fiz e as coisas que não disse. Que se tivesse uma nova oportunidade, também não os faria.

Pouco importa. Qualquer tédio que me consuma, qualquer alegria que me entristeça. Porque estou em um estado de constante nada, toda e qualquer coisa nenhuma habita meu ser.

Umas poucas palavras que nada dizem, sons que não escuto e pessoas que não vejo. Um incômodo cômodo.

Um vazio por si só, que me preenche por completo.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Coisas que não posso dizer

Só vim dar uma breve explicação sobre as coisas que não posso dizer.

Não era para você saber, mas foram por sua causa...

todas as noites que eu não dormi.
todo sorvete do mundo que eu tomei.
todo o álcool que eu ingeri.
e todas as bocas que eu beijei.

Não era para você saber, mas escrevi mil mensagens que não enviei, pensei em dizer mil coisas e me calei.
E até essa breve explicação com rimas pobres eu estava tentando esconder.

Mas, que importa, não era para você saber.
São apenas coisas que eu não posso dizer.